Projeto Pacto da Floresta

Projeto Pacto da Floresta

Aprovado em junho de 2018, o projeto tem por objetivo apoiar a consolidação da cadeia produtiva da castanha-do-brasil e o fortalecimento das atividades produtivas relacionadas ao açaí, farinha de mandioca e borracha natural, nas terras indígenas Igarapé Lourdes e Rio Branco. Além das reservas extrativistas Estaduais Rio Cautário, Rio Ouro Preto e a Federal do Rio Cautário, localizadas em Rondônia.

O projeto ainda contempla ações para fortalecimento de cadeias produtivas complementares à castanha-do-brasil, contribuindo para a estabilidade na geração de renda dessas populações ao longo do ano.

Além de prever o fortalecimento das organizações comunitárias para a gestão de recursos, projetos, organização da produção e prospecção de novos mercados e a articulação com atores-chave para o trabalho em rede com vista no fortalecimento das cadeias da sociobiodiversidade.

O projeto ainda abrange territórios como: Alta Floresta D’Oeste, Costa Marques, Guajará-Mirim, Ji-Paraná, Nova Mamoré, São Francisco do Guaporé e São Miguel do Guaporé (RO)

Estratégias de atuação:

Apesar da consolidação das cadeias dos produtos da sociobiodiversidade carecer de infraestrutura de produção,beneficiamento, escoamento, aumento das capacidades das organizações locais, inserção em novos mercados e prestação de assistência técnica, o extrativismo da castanha do brasil nesses cinco territórios ainda é a principal atividade econômica.

Sendo assim, o projeto visa a consolidação da cadeia por meio de:

• construção e ampliação de infraestruturas de coleta, armazenamento e beneficiamento da castanha;
• capacitação das comunidades em boas práticas produtivas;
• agregação de valor por meio de processos de beneficiamento, certificação orgânica;
• prospecção de mercados diferenciados e formação de novas parcerias comerciais.

ESTATUTO SOCIAL 2018 Contrato BNDS assinado LISTA QUALIFICAÇÃO SCANEADA 2017 A 2021

LISTA QUALIFICAÇÃO SCANEADA 2017 A 2021

Contrato BNDS assinado

Share This